Arquivo da categoria: Rio de Janeiro

Gatinhos de toda parte

Os gatinhos divulgados no blog Gatinhos de toda parte estão a procura de um lar. Procuram pessoas dispostas a amá-los, que lhes ofereçam tratamento veterinário regularmente e lhes deem um lar seguro, sem acesso à rua. As informações sobre os gatinhos contidas nos anúncios são de responsabilidade exclusiva do doador.

Anúncios

SOZED

A SOZED foi fundada em 24 de novembro de 1969 por um grupo de pessoas preocupadas com os direitos dos animais. Elas se reuniram e decidiram criar uma entidade na qual pudessem esclarecer a todos os seus ideais. Sendo assim, definiram seu objetivo principal, que é mantido até os dias de hoje: acabar com o abandono e os maus tratos em animais.

Desde aquele dia, a SOZED vem lutando para conscientizar as pessoas do valor que cada animal tem. O caminho sempre foi longo e difícil. São muitos cães e gatos que vemos sofrer violência humana. São muitas as atrocidades que acompanhamos ao longo de nossa trajetória. A realidade é triste, mas é exatamente esse o nosso foco para mudanças.

Muitas pessoas confundem os propósitos da SOZED. Não somos uma entidade recolhedora de animais abandonados. Nós cuidamos de animais de rua para disponibilizá-los para adoção. Essa é a nossa grande intenção. Nós possibilitamos o encontro de pessoas e bichos, somos meros intermediários.

Por ser uma organização sem fins lucrativos, a SOZED tem sérios problemas para prosseguir. O que a mantém até hoje é a força e o carinho de cada voluntário e de cada associado. Aqueles que amam os animais e reivindicam seus direitos como seres-vivos reconhecem a importância da SOZED nessa luta.

A SOZED também conta com veterinários que, além de cuidarem dos animais recolhidos, realizam consultas a preços populares. O dinheiro é revertido em medicamentos e materiais para que possamos continuar nosso trabalho. Por não ter fins lucrativos, a SOZED cobra valores simbólicos e bastante acessíveis a todos, inclusive à população de baixa renda. Nosso objetivo se basta em ajudar os animais.

GAPA-MA – Grupo de Assistência e Proteção aos Animais e ao Meio Ambiente

O GAPA-MA teve origem simbólica em 05 de outubro de 1999, quando um filhotinho de vira-lata preto reuniu suas últimas forças para ficar olhando para dois fundadores do Grupo, da varanda de um restaurante onde jantavam, em Correas, Petrópolis. Apesar de muito fraco, aquele olhar inocente e cheio de sofrimento e esperaça foi capaz de motivá-los, não apenas para salvá-lo, mas para iniciar um trabalho que tem representado uma esperança concreta para os animais abandonados de Itaipava e outros Distritos de Petrópolis, na região serrana do RJ.

Hoje, já são aproximadamente vinte voluntários atuando ativamente nos Distritos, trabalhando no resgate e na preparação dos animais com o objetivo de buscar um novo lar mediante a promoção de feiras quinzenais de adoção desses animais carentes.

O GAPA-MA formou-se como Associação sem fins lucrativos, nos moldes exigidos pelo novo Código Civil Brasileiro e estabeleceu sua sede em Itaipava, Distrito de Petrópolis, local que lhe serve de ponto de referência para a guarda e conservação de documentos.

Sua Diretoria é composta por 6(seis) membros: Presidente, Vice Presidente e quatro Diretores.

Objetivos prioritários

São objetivos fundamentais do GAPA-MA (i) a defesa dos animais, (ii) a preservação e conservação do meio ambiente e (iii) a promoção do desenvolvimento sustentável.

Para a consecução destes objetivos, o GAPA-MA está habilitado a exercer atividades técnicas, culturais e assistenciais, são elas:

1 .Prover assistência médica-veterinária aos animais: (i) abandonados, assim entendidos os que vagam pelas ruas sem proprietário aparente e (ii) mal-tratados (ainda que possuam proprietário aparente e/ou conhecido);
2. Atuar na área de defesa, saúde e bem estar animal, envidando todos os esforços para a implementação de políticas de combate ao uso de animais em quaisquer tipos de experiências, seja para estudo ou pesquisa, bem como atividades que submetam os animais a sofrimento, humilhação e/ou esforços extremos, tais como rodeios, circos e assemelhados;
3 .Atuar na área de controle populacional, mediante ações que priorizem a realização de castrações de animais abandonados ou não, inclusive promovendo campanhas, com ou sem patrocínio/apoio do Poder Público ou da Iniciativa Privada, em centro cirúrgico próprio ou de terceiros;
4. Estabelecer acordos operacionais, parcerias e convênios com pessoas físicas, jurídicas, públicas e privadas, bem como associações assemelhadas, no Brasil e no exterior;
5 .Apoiar pessoas, associações, empresas e instituições, públicas ou privadas, no cumprimento do determinado pela legislação vigente no que diz respeito à proteção animal e ambiental como um todo;
6. Promoção do voluntariado;
7. Atuar e acompanhar processos administrativos ou judiciais que tenham por objeto a defesa dos animais e do meio ambiente,
8. Elaborar e implementar campanhas educativas, através dos meios de comunicação, com a participação dos cidadãos, empresas, instituições e organizações, objetivando o esclarecimento da população com relação à guarda e guarda responsável de qualquer espécie de vida animal, cuidados com o meio-ambiente e o desenvolvimento sustentável;
9. Desenvolver e/ou implementar programas que utilizem animais em ações que visem o bem-estar de pessoas necessitadas de cuidados especiais;
10. Promover palestras, eventos, congressos ou outro tipo qualquer de reunião sobre temas que, direta ou indiretamente, contribuam para o desenvolvimento dos objetivos da Associação, inclusive com a confecção de material didático e técnico correspondente, respeitada a legislação concernente à proteção dos direitos autorais de seus idealizadores;
11. Realizar feiras/eventos de adoção de animais;
12. Desenvolver projetos ou consultorias para planejamento do uso dos recursos ambientais, melhoria ou recuperação de áreas degradadas, bem como o acompanhamento da qualidade ambiental;
13. Vender produtos, promover eventos ou deles participar, para divulgação da associação e angariar fundos para a realização de seus objetivos;
14. Realizar estudos, desenvolvimento de tecnologias alternativas, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos que digam respeito às suas atividades;
15. Agenciar artistas, editar e publicar livros, periódicos, vídeos, DVD’s, programas de Rádio e de Televisão, Internet e outros tipos de mídia, após autorização e cumprimento das formalidades legais.

ULA! – União Libertária Animal

O ULA! – União Libertária Animal é um grupo autônomo, auto-gestionário, sem fins lucrativos e de trabalho voluntário. Segue uma linha abolicionista (banimento da exploração animal), compondo o Movimento de Libertação Animal. Por isso, tem uma perspectiva no âmbito sociopolítico, de transformação social, visando a legalização e legitimação dos Direitos Animais, e não apenas de proteção animal e bem-estarismo (sanitarista, assistencialista e especista).

De acordo com Tom Regan, professor emérito de Filosofia da Universidade da Carolina do Norte e um dos maiores nomes em Bioética, todos os animais sencientes (que sentem), independente da espécie, são sujeitos-de-uma-vida, e não vidas-sem-sujeito como as plantas; então, são conscientes de suas vidas e ambiente. Portanto, são sujeitos de direitos e não devem ser usados como meios para nossos fins, pois estão no mundo para suas próprias razões e isso seria a escravização desses seres.

O grupo não trabalha em prol apenas das vítimas da exploração mais visíveis aos nossos olhos, os cães e gatos; mas luta pelo fim da escravidão e crueldade contra toda e qualquer vida senciente, a fim de eliminar hábitos e atitudes especistas (preconceito e subjugação de outras espécies), defendendo o Veganismo (o boicote/não financiamento a atos e produtos que pratiquem exploração animal) como medida fundamental para o fim de toda barbárie cometida contra animais não-humanos.

O ULA é o primeiro e único grupo com essa proposta na Zona Oeste do Rio de Janeiro, atuando mais diretamente nos bairros de Campo Grande, Guaratiba e Bangu, agindo com as seguintes medidas:

CONSCIENTIZAÇÃO – expor e refletir sobre todas as formas de exploração animal que acontecem longe dos olhos da população e prover medidas individuais e coletivas para o fim destas. Isso acontece por meio de campanhas,intervenção urbana, exibição de vídeos, site informacional, panfletos informativos, participação em eventos, etc.

CASTRAÇÃO – viabilização de castrações para animais carentes, diminuindo a superpopulação e abandono, e conseqüente maus tratos e zoonoses. Além de incutir a importância e o hábito do controle populacional dos animais domésticos.

Estas são medidas de mudança social, estrutural, profiláticas, com conseqüências e benefícios permanentes.

O ULA! tem um trabalho que visa quebrar um antigo paradigma, o antropocentrismo, e mostrar à população o novo, o biocentrismo, a fim de promover uma transformação social a partir de uma consciência crítica e de uma ética transformadora. O grupo é contra toda e qualquer forma de exploração animal para benefício humano (seja para entretenimento, conforto, vestuário, alimentação, lucro, trabalho, etc.).

Queremos incentivar e incutir em cada pessoa a idéia de que a ação individual em prol dos animais e do meio ambiente é a melhor forma de mudar a realidade. Cada um pode e deve fazer a sua parte, desde pequenos atos cotidianos até grandes manifestações – só depende da própria vontade e iniciativa.

“Os valores são os seguintes: os animais têm direitos morais básicos, incluindo o direito à liberdade, à integridade física e à vida. E os compromissos? Que lutemos, não apenas por um mês ou um ano, mas sim pela vida toda, para garantirmos que um dia esses direitos sejam reconhecidos.” (Tom Regan, Prefácio à edição brasileira de Jaulas Vazias, 2005)

Todos podem se tornar membros do grupo, participando da forma que puderem e quiserem.

SOS Vida Animal

O SOS VIDA ANIMAL nasceu de um grupo de amigos que tinham o mesmo objetivo: a proteção animal.

Acreditamos na educação como forma de alcançar um mundo aonde os homens respeitem todas as formas de vida. Investimos na conscientização da posse responsável e incentivamos a castração para que haja um maior controle populacional.

Além disso, fazemos regates de cães e gatos. Assim, tentamos diminuir o sofrimento de animais que estão nas ruas recebendo maus-tratos. Não aceitamos pedidos de resgates, uma vez que não temos estrutura para abrigar tantos animais.

É importante compreender que nosso alvo é o bem-estar dos bichos. Não somos abrigo. Não ajudamos ninguém a se livrar de seu melhor amigo.

Os animais resgatados passam por uma triagem onde são alimentados e medicados para que, posteriormente, possam ser adotados por novas famílias. Não temos canis ou gaiolas, nossos focinhos são tratados em lares temporários. Isso faz com que eles se acostumem com a presença do homem.

Se você se identificou com nosso projeto, e deseja nos ajudar, pode se tornar um colaborador, apadrinhar um focinho do SOS VIDA ANIMAL ou doar remédios, material de limpeza, ração e qualquer outro material que possa nos ajudar na nossa missão.

SOS VIDA ANIMAL
. Adote essa ideia!

Oito vidas

Somos apaixonados por bichos! Por gatos, em especial.

Defendemos os animais com unhas e dentes. E lutamos para construir um futuro melhor para todos os animais (racionais ou não) dentro do nosso bairro, da nossa cidade, do nosso país e do mundo todo.

Nosso sonho é que os seres humanos possam tratar com respeito e compaixão todos os seres vivos desse planeta tão lindo. Mas enquanto isso não acontece, trabalhamos para que todos os animais abandonados ou vítimas de maus tratos possam ter uma nova chance…. uma nova vida.

O nome OITO VIDAS nasceu exatamente do nosso desejo de dar uma vida nova para gatos em situação de abandono ou de risco. Na realidade, a inspiração veio dos gatinhos que, como se diz, possuem sete vidas. Os gatos abandonados, doentes e vítimas de maus-tratos, entretanto, possuem oito vidas, sendo que a oitava é aquela que começa com a nossa vontade de dar a eles mais uma chance. Só depende de nós.

Nosso trabalho é dedicado aos animais de rua, aqueles excedentes urbanos que foram abandonados à própria sorte.  Ele consiste nos seguintes passos:

– Identificação da colônia animal;
– Conscientização da comunidade;
– Castração, tratamento, alimentação; e
– Adoção Responsável
– Acolher um animal é mais do que um ato de amor; é um ato de humanidade. E é claro que o ideal seria que cada animal de rua encontrasse um humano e um lar que os acolhessem com amor, cuidados e carinho.

Entretanto, nós, da OITO VIDAS, sabemos que nem sempre isso é possível. Por isso, muitas vezes, acolhemos os animais de rua apenas para tratá-los e esterilizá-los.

Nosso principal objetivo é devolvê-los ao seu lugar de origem, ao mesmo tempo em que trabalhamos para conseguir para eles um lugarzinho no coração e no lar de um humano responsável.

É cada vez mais freqüente, nas grandes cidades do mundo, a idéia de que se deve controlar a população de animais de rua através de cuidados médicos, manutenção, alimentação, monitoração e esterilização.

Nunca através da remoção, do confinamento e do extermínio.

Monitorando as populações de animais de rua, cuidando dos filhotes e dos adultos, esterilizando machos e fêmeas, é possível buscar uma situação de equilíbrio entre os animais e o ambiente em que vivem, sejam parques, praças ou outros.

Infelizmente, no caso da OITO VIDAS, ainda não contamos com uma estrutura que nos possibilite acolher todos os animais que necessitam de abrigo ou socorro em nossa cidade. Por isso, acreditamos que divulgando nossas ações podemos orientar, incentivar e ajudar outras pessoas a entrarem na luta pelos direitos dos animais.

Você é responsável pelo animal que você escolheu ter junto a você.

E nada mais responsável do que cuidar bem do seu bichinho. Mas, cuidar bem não é só fazer carinho, fornecer água e comida e um teto para morar. Cuidar bem vai muito além disso. É esterilizar, vacinar, fornecer cuidados médicos, e, também, fornecer abrigo, água e comida.

Além disso, é cada vez mais forte a certeza de que a posse responsável de animais inclui a esterilização.

Infelizmente, ainda existe muita gente que acha “uma pena” esterilizar um animal ou que acredita que o animal deveria ter pelo menos uma cria antes da esterilização.

Na prática, porém, o que vemos é, na maioria das vezes, os filhotes sendo doados ou vendidos para pessoas irresponsáveis ou, que, mesmo bem intencionadas, também não se preocupam em esterilizá-los.

O resultado é um só: CADA VEZ MAIS FILHOTES, EM PARTICULAR, GATINHOS, ABANDONADOS NAS PRAÇAS E RUAS, DENTRO DE CAIXAS.

Infelizmente, se esses filhotes não são resgatados logo após o abandono, eles estão fadados a morrer. E não é uma morte qualquer. É uma morte lenta, causada por doenças adquiridas e não tratadas, por maus-tratos a que são submetidos no meio da rua por pessoas inescrupulosas. Daí a importância de começarmos a denunciar esse tipo de crueldade e estarmos sempre atentos aos animais abandonados nas ruas.

Então não se esqueça: esterilizar o seu animal é uma prova de amor.

Amor por ele e por todos os animais.

Não perca tempo, consulte o seu veterinário sobre a melhor idade para esterilizar o seu bichinho de estimação.

Se existe sempre um cãozinho ou gatinho por aí procurando um novo dono, certamente também existem muitas crianças, jovens, adultos e idosos que estão em busca de um animal de estimação. Se você conhece alguém que recentemente perdeu seu bichinho, ou que está louco para ganhar um animalzinho de estimação, nós podemos ajudar você a realizar este grande encontro.

Nossos gatos são em sua maioria vacinados, vermifugados e acompanhados de perto por veterinários.

Pois é… Eles foram resgatados e, desde o resgate, têm sido cuidados com MUITO amor e carinho.

Agora é a sua vez. Venha conhecer e se encantar com eles. Você vai adorar!

Não possuímos abrigos.  Além dos cuidados diretos com os animais, que consomem grande parte do nosso tempo e recursos, desenvolvemos um trabalho de conscientização junto às comunidades para que seus membros entendam que os animais têm tanto direito quanto os humanos a uma vida digna e sem sofrimento. Na cidade do Rio de Janeiro, especialmente, os animais que vivem na rua são protegidos por lei, que lhes garante proteção e permanência na localidade em que se encontram. Dessa forma, fazendo o trabalho de conscientização quanto ao papel do animal naquela comunidade, os seus direitos, bem como a importância da esterilização, buscamos reforçar a união entre os humanos e esses animais. O resultado tem sido muito bom e, após tratados e esterilizados, esses animais (na maioria gatos) recebem autorização para permanecer no local onde se encontram com a comunidade ajudando na sua manutenção.

Nos casos dos gatos, especialmente, a nossa luta é para deixar as colônias em seu local de origem, controladas pela esterilização, buscando a doação dos filhotes, que correm maior risco de vida, e a educação da população no que se refere ao respeito a todos os seres vivos do planeta, ao não abandono e à adoção responsável .

Nos casos dos cachorros e outros animais tais como coelhos, galinhas, etc., procuramos achar lares temporários para os mesmos até que eles sejam definitivamente adotados.